Total de visualizações de página

Seguidores

sábado, 1 de março de 2008

YOGANIDRA


Yoganidra

Yoganidra: aqui, aprendemos a descontrair conscientemente cada músculo e cada parte do nosso corpo.
Depois, nos imaginamos envolvidos por uma cor específica ou passeamos mentalmente por praias paradisíacas, belas montanhas, campos floridos, etc. Tudo isso para que possamos sair da agitação do cotidiano e perceber outras formas de viver com mais tranqüilidade.
A serenidade advinda desses momentos é deliciosa e permanece por vários dias.
Em sânscrito Yoga é união e nidra, sono. Assim yoganidra é o "sono" do praticante de Yoga, um estado interior onde o corpo físico se encontra completamente descontraído, a mente se ocupa com imagens positivas e não nos envolvemos com emoções conturbadas.
Apesar do nome se referir ao sono, a consciência está plenamente desperta.
No nível físico o relax produz a total descontração da musculatura.
As emoções e preocupações cotidianas produzem contrações musculares que podem se tornar crônicas.
Através da localização da consciência e da mentalização você elimina a tensão excessiva de cada parte do corpo.
Além disso, o relax após a prática de Yoga nos auxilia a assimilar a energia e os benefícios produzidos pelos outros exercícios.
Isto acontece porque ao descontrair, permitimos uma melhor circulação da energia.

Esta técnica atua também no plano emocional.
Ao entrarmos em relaxamento nos distanciamos de problemas e emoções desarmonizadas espairecendo a cabeça e conseguindo olhar os fatos de uma maneira mais objetiva. Relaxando, conferimos ordem aos pensamentos.
Na esfera mental o yoganidra ativa o cérebro dando maior rapidez e mais clareza ao raciocínio.
Os passeios que fazemos pelas paisagem da mente estimulam a criatividade e abrem caminho para explorarmos novas potencialidades.
Com os pensamentos tranqüilos, somos capazes de penetrar num profundo estado de paz interior.
Durante o relax é muito comum experimentarmos sensações incômodas.
Algumas vezes parece que existe uma formiga andando sobre a pele, outras vezes sentimos uma irresistível coceira no nariz e algumas pessoas relatam que têm vontade de se levantar pois sentem muita ansiedade no relax.
Tudo isso é natural pois não estamos habituados a ficar "parados" e essas sensações desaparecerão se você persistir na prática. Nossa sociedade valoriza demais a atividade.
O que conta é produzir, fazer e acontecer. Assim, nosso cérebro fica programado para a atividade e não nos permite nem um minuto de descanso.
Quando paramos para descontrair ele nos bombardeia com coceiras, imagens desconexas, inquietude, etc.
Mas, aonde está escrito que não temos direito a relaxar?
Quem decidiu que a descontração é um pecado?
Vamos começar a reconhecer o valor do relaxamento e da "passividade" pois é durante este estado de descontração que surgem as idéias mais brilhantes e as soluções mais criativas.
Se a atividade no mundo objetivo é importante teremos que reconhecer que ela é, na verdade, apenas o fruto da atividade interna que alcançamos quando relaxamos.

Outra dúvida freqüente é se podemos dormir no relaxamento.
Poder pode, mas não deve.
Não que haja algum inconveniente, mas se você adormecer ou deixar o pensamento disperso estará perdendo todas as mentalizações e reprogramações positivas que fazemos nesse exercício.
Para permanecer acordado basta que você se concentre na voz do instrutor. Participe ativamente do relax criando as imagens e experimentando as sensações que ele indicar.

Uma forma de fazer um relax rápido é:
Visualizar uma paisagem que você conheça ou não.
Crie o máximo de detalhes possível e sinta-se nesse lugar.
Imaginar que você está em uma sala preenchida por luz azul.
Você inspira essa luz, deixa que ela relaxe seu corpo e a devolve para o ambiente expirando.

Sentir-se flutuando no espaço tal qual uma ave.

Um comentário:

Karyna Bastos disse...

Adorei seu blog!! Sempre quis saber mais sobre reiki, yoga...fiquei muito feliz com as novidades...Parabéns!