Total de visualizações de página

Seguidores

terça-feira, 29 de maio de 2018

ALGUMAS DOENÇAS E SUAS CAUSAS METAFÍSICAS.


                    


Alergia
Na metafísica a alergia é desencadeada pelo estado de alerta diante das situações da vida e a tendência a ficar na defensiva ao encará-las; Isso gera tensão e medo que é interpretado como um estado emocional abalado. Ele se manifesta nos momentos de enfrentar essas situações difíceis.

Para se trabalhar interiormente procure não ficar na retaguarda, apavorada e se preparando para uma situação como se fosse uma grande batalha a enfrentar.


Anemia
Sabotar a capacidade de ser bom nas coisas que se propõe a realizar.

Aprender a se amar e se respeitar, a não se agredir, a lidar com o poder e controle da situação se por do próprio lado para vencer os desafios da existência. Tenha em mente que tudo na vida passa, menos o direito de ser feliz. Essa é uma conquista do espírito e um direito nosso. O maior poder está sobre si mesmo e não nas situações externas.

Alzheimer
A degeneração das células nervosas, metafisicamente, é o "deteriorar dos conteúdos internos". Representa que a pessoa ao longo da vida não conseguiu manter adequadamente o seu poder sobre as questões da vida. Não se auto dirigiu, nem tampouco conseguiu ser bem sucedido na excussão das suas próprias coisas. Pode-se dizer que em vez dele ter sido um vitorioso, por conseguir resultados que o realizassem, sente-se derrotado.

No tocante a agressividade que explode em alguns momentos, refere-se ao quanto ele se conteve durante a vida.
É preciso que os cuidadores, nesse momento, tenham força. Que a tolerância e a compreensão sirvam como bálsamos evitando a revolta e indignação.Que esta doença sirva de lição: Viver respeitando seus limites, preservar as condições internas, e principalmente, não deteriorar aquilo que é precioso num ser humano, o seu próprio senso e o seu poder de decidir e agir, de acordo com seus valores internos. 

Bexiga e infecção urinária
Infecção urinária metafisicamente refere-se a conflitos no relacionamento, irritação com aquele que está do seu lado, geralmente a maior causa dessa irritação não é bem o que a pessoa faz ou deixa de fazer, o que mais incomoda mesmo é pelo fato de ser sempre assim na sua vida, as coisas sempre foram assim com você. Então na verdade aquilo que o outro apresenta te afeta por ser algo que você vivenciou e não se desprendeu.

Pare de se lamentar com os seus infortúnios afetivos e curta aquilo de bom que acontece com você.


Cistite
Infecção urinária metafisicamente refere-se a conflitos no relacionamento, irritação com aquele que está do seu lado, geralmente a maior causa dessa irritação não é bem o que a pessoa faz ou deixa de fazer, o que mais incomoda mesmo é pelo fato de ser sempre assim na sua vida, as coisas sempre foram assim com você. Então na verdade aquilo que o outro apresenta te afeta por ser algo que você vivenciou e não se desprendeu.

Pare de se lamentar com os seus infortúnios afetivos e curta aquilo de bom que acontece com você.

Cabelo, queda
No âmbito metafísico, os cabelos representam nossa defesa e proteção. Porque eles caem? Por que não estamos dando fiança àquilo que sentimos ou pensamos. Por não ter segurança em si, a pessoa apega-se ao que advém dos outros para sentir-se protegida e segura.
Procure resgatar aquilo que lhe é próprio. Sentir-se bem com aquilo que decide, com as medidas tomadas na vida; com a forma de pensar e agir. Afiançar a suas próprias decisões. Basicamente essas atitudes metafisicamente são benéficas ao cabelo, fortalecendo o bulbo capilar.

Cálculo na Vesícula
O padrão metafísico refere-se ao fato da pessoa protelar sua expressão, deixando para depois a manifestação daquilo que chateia e acaba não expressando. É algo como excesso de tolerância. Precisa resgatar a autenticidade e ser mais preciso na colocação daquilo que incomoda.
A vesícula não tem vias de eliminação desses cálculos, nesse caso só a desmaterialização resolveria o problema e isso é muitíssimo raro de alguém alcançar. Vale a pena trabalhar as causas metafísicas para não guardar tantas emoções e indignações que não são expressas. Procure um bom cirurgião gastro, e retire sua vesícula, você vai sentir-se melhor sem ela. 

Catarata no olho direito
No tocante a causa metafísica da catarata, refere-se à dificuldade de encarar as verdades acerca das pessoas que estão do seu lado. Admitir que os outros não são como você que fossem, ou ainda não têm um grande sentimento em relação a você, ou eles não são de boa índole, como você gostaria que fossem.
Não é fácil encarar algumas verdades que estão por trás das aparências, mas é necessário admitir isso, pos um dia elas vêm à tona, é melhor estar preparado para não se decepcionar.

Coceira
A pele metafisicamente representa um órgão do contato, manifestar aquilo que lhe é próprio. Frustrando a expectativa manifestadora, a insatisfação de não ter realizado aquilo tudo que gostaria, faz com que a integridade pessoal fique abalada.
É. Necessário respeitar os seus limites, não fazer tanta expectativa acerca do seu próprio desempenho nas situações externas. O que for possível de ser feito será de bom grado.

Cólica menstrual
Metafisicamente, problemas menstruais refere-se a dificuldade de lidar com as mudanças. No tocante a cólica refere-se a apego. Permanecer apegado a uma situação e não realizar as transições necessárias.
Na vida muitas mudanças ocorrem, é necessário que a mulher desenvolva a capacidade de realizar as transições para manter a harmonia da convivência. Avalie o nível de apego que evitou a renovação em algum setor da vida. É importante trabalhar o desprendimento e reforçar o propósito de adaptar-se as diversas situações da vida. 

Colite
No âmbito metafísico a colite está relacionada a constituição de laços familiares e afetivos com caráter de dependências, impedindo o crescimento pessoal. Profunda irritação pela situação que provocou o rompimento de uma relação simbiótica.

É importante se dar o direito de se sentir arrasado com os fatos e não permitir que as ocorrências externas acabem com o seu bem-estar.

Dentes
No Âmbito metafísico os dentes representam firmeza de caráter e capacidade de tomar decisões na vida. Portanto, problemas referem-se a insegurança, dúvidas que abalam a força realizadora.
Procure desenvolver a segurança necessária para tocar seus projetos de vida, não se deixar abalar pelas situações ao redor. Acredite, você pode e também é capaz de conquistar a felicidade, basta ser mais determinada. 


Dentes, canal

Metafisicamente os problemas que afetam o canal dos dentes estão relacionados a profundos abalos nas crenças da pessoa. É como sofrer sérias decepções e passar a questionar à respeito daquilo que acreditava.


A medida que a pessoa supera essa invasão e se refaz interiormente, qualquer tratamento será muito bem sucedido. 

Depressão
Quando nos sentimos fragilizados e abatidos é porque não desenvolvemos uma boa estima, não preservamos o auto valor, nem tampouco mantemos nosso amor próprio. Não é fácil sair dela sozinha, a ajuda de um psicólogo, que te leve ao encontro consigo mesmo, torna-se indispensável.

Comece a dar a si tudo aquilo que você esperava dos outros. Seja sua própria companheira, faça as pazes consigo que a felicidade será conquistada.

Diabete
No âmbito metafísico o diabético é um indivíduo que tem um histórico de vida repleto de frustrações e sofrimentos, que o tornaram triste, rancoroso e pessimista, não conseguem se desprender das mágoas.

A pessoa perde o gosto pela vida.
Procure apoiar-se em si mesmo. Não dependa das condições externas para melhorar seu mundo interno. Resgate o potencial do ser. Aprimore a qualidade interna, isso será de grande ajuda para apreciar com mais ênfase as situações que te cercam. Abandone o pessimismo e assuma o otimismo, que a vida vai melhorar, e a saúde fará parte de seus dias


Diverticulite

Metafisicamente, refere-se a um estado interior de saudosismo e arrependimento. Trata-se de alguém triste e amargurado, ou porque as coisas a sua volta não corresponderam aquilo que idealizou, revoltado por deparar-se a fatos que comprovam que todos os esforços para as realizações foram em vão,ou por abster-se da companhia de pessoas queridas para investir numa condição ideal para o futuro,ou ainda por alguém que não correspondeu a tudo o que fez, melhor dizendo, é a condição metafísica desencadeadora da infecção dos divertículos existentes nas paredes do intestino grosso.
Para reverter essa condição interna, é necessário desprender-se dos golpes da vida provocados por aqueles que consumiram toda a sua atenção e dedicação e não tiveram a dignidade de corresponder a tudo o que receberam. Perdoe-os.


Dor de cabeça
Metafisicamente dor de cabeça representa uma resistência em acatar acontecimentos inusitados da vida, se opor e não admiti-los. Ficar indignado com tais episódios.
Reflita se não existe algo te pressionando, obrigando-lhe a fazer determinada coisa que te deixe indignado, ou ter que acreditar em algo que não concorda? 

Dor de dente
No Âmbito metafísico os dentes representam firmeza de caráter e capacidade de tomar decisões na vida. Portanto, problemas referem-se a insegurança, dúvidas que abalam a força realizadora.
Procure desenvolver a segurança necessária para tocar seus projetos de vida, não se deixar abalar pelas situações ao redor. Acredite, você pode e também é capaz de conquistar a felicidade, basta ser mais determinada.

Endometriose
Metafisicamente é a tentativa da mulher em se afirmar como pessoa diante daqueles que a cercam. O mecanismo adotado para alcançar esse objetivo é o de querer que os outros sejam iguais a si, que pensem e ajam à sua maneira. “se todos forem iguais a mim, não vou me sentir inadequado”.Isso representa não estar seguro quanto ao seu próprio jeito de ser.
Ficar seguro de que temos o direito de ser diferente dos outros, agir a nossa maneira sem querer "forçar a barra" para que as pessoas também sejam assim; respeitar o nosso estilo e deixar que cada um faça a sua maneira.

Enjoo
Resistência àquilo que se desenrola ao redor. O padrão metafísico apresenta tendência a recusar interagir com aquilo que não gosta ou mesmo que não vai ao encontro de seus anseios, rejeição a fatos não agradáveis.
Nem sempre as coisas são como agente quer, evite o mimo. 


Epilepsia
Metafisicamente a epilepsia representa uma intensa descarga de impulsos recalcados, o ataque epilético é a explosão desses impulsos guardados manifestados em uma única vez.Geralmente é alguém impulsivo, criativo, que se apaixona facilmente pelas pessoas e pelas coisas; porém reprime todo esses entusiasmos tornando-se uma pessoa moderada e as vezes até pacata.

Não contenha sua emotividade, é importante estar sempre atendo a construir oportunidades para agir. Nunca se cale, encontre um meio de se pronunciar; nunca pare, encontre um meio de algo realizar. 

Erisipela
A erisipela representa os ferimentos obtidos no contato com a realidade. O quanto a pessoa se machucou no contato com aqueles que a cercam. Ela não se desprende de tudo o que aconteceu de ruim na realidade, com isso é consumida pelo arrependimento do que fez ou pela lembrança dos episódios nocivos que presenciou no passado.
Para reverter o processo: desprender-se do passado e ser plena no presente, parar de cultivar as chagas vivenciadas e aproveitar a oportunidade que a vida oferece no presente.

Espinhas
Não se aceitar da forma que se apresenta aos outros. Eleger-se (talvez) impura ou indigna quanto a maneira que se coloca perante os outros. Resumindo falta de auto aprovação.
Para mudar o padrão: se aprove, se respeite, aprimore o jeito de ser. Sinta-se puro e respeitável diante das pessoas.

Estria
Resumidamente a metafísica da estria refere-se a pessoa romper consigo mesma frente àqueles que a cercam; não falar aquilo que pensam, nem tampouco preservarem suas características pessoais. A pele metafisicamente é o órgão do contado, assim, quanto não evidenciamos aquilo que somos, para se adaptar ao meio em que vivemos, rompemos com nossa essência.
Procure ser mais fiel a si mesma, seja sincera agindo a sua maneira. Não é nada arriscado falar o que pensa, ao contrário, você irá ficar satisfeita consigo mesma.

Febre
No âmbito metafísico esse padrão refere-se a um estado de profunda irritação contida.
É importante elaborar o nervosismo e permitir que expresse suas irritabilidades.

Fibroma
O útero refere-se a maneira de ser, o estilo e característica da mulher. Aquele jeito só da pessoa em lidar com os acontecimentos. Quando bloqueia essa natureza e adota nova conduta, sem respeitar seu jeito de ser. Metafisicamente é bloqueio e negação da originalidade.
Faz-se necessário resgatar o estilo próprio. 

Fibromialgia
Dor Facial
Metafisicamente os músculos referem-se a capacidade realizadora, já a face corresponde a auto imagem; dor é o reflexo de ferir-se ou punir-se.Assim, a fibromialgia é uma condição física que reflete o conflito da auto-imagem. A atitude rígida para consigo mesmo, condenar-se ou arrepender-se pelo que faz, ficar achando que deveria mais ou fazer melhor.
Para mudar a atitude interior, é necessário ficar mais do seu lado, respeitar seus limites e compreender que fazemos num momento aquilo que está ao nosso alcance. Não podemos ficar nos cobrando, isso desgasta a energia necessária para realizar o que é preciso.

Furúnculo
Metafisicamente furúnculo representa uma reprovação das próprias características, negar seu jeito de ser.
É importante resgatar a auto aprovação, se aceitar, e não deixar que alguns conceitos externos causem transtornos de aceitação para consigo.

Gastrite
A gastrite refere-se metafisicamente a irritação com o que se passa ao redor. Preocupação excessiva com os episódios que estão a nossa volta.
Procure ser mais tolerante e menos tenso com o que se passa com você. Procure nutrir pensamentos saudáveis.

Glaucoma
Metafisicamente o Glaucoma é um reflexo no físico, do quanto a pessoa se sente pressionada e responsável pelas situações que se passa ao redor. Geralmente essa autocobrança existe nas pessoas propensas a assumir exageradamente aquilo que está a sua volta.
É importante desenvolver a fé nos melhores resultados, a confiança nos processos da vida, deixar de assumir as responsabilidades dos outros e se culpar por aquilo que acontece de ruim.

Glóbulos brancos, baixo nível
Metafisicamente os glóbulos brancos representam nossa integridade pessoal, a capacidade de não se deixar abater por nenhuma interferência do meio externo. Baixo nível desses glóbulos é indício de que estamos nos sentindo abatidos ou até vencidos por alguma situação que abala a nossa certeza.
É necessário fortalecer as condições internas para que nada abale a certeza nos melhores resultados.

Gordura, obesidade
Reflete a necessidade de defesa e proteção, um sentimento de vazio e insegurança, bem como a dificuldade de viabilizar os planos.
Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar.


Gordura localizada
Gordura localizada representa estar se poupando da livre expressão, não deixar fluir a sua capacidade articuladora,a criatividade e flexibilidade.

Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar.Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.


Gordura - na região abdominal
Gordura localizada no abdome representa a postura em defender-se do ambiente, medo de ser afetado pelas situações nocivas que estão a sua volta. Esse é um fator metafísico, o outro é a negação das suas vontades, repressão dos seus impulsos.
Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar.


Gordura na região do culote

Gordura localizada representa metafisicamente estar se poupando da livre expressão, não deixar fluir a sua capacidade articuladora. O acúmulo de gordura no culote ou ancas representa falta de jogo de cintura nas situações práticas do cotidiano e contenção da impulsividade.
Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar. Saiba mais sobre o assunto no livro: Metafísica da Saúde vol.3. Autores: Valcapelli e Gasparetto.

Gordura na região dos braços
Gordura localizada representa estar se poupando da livre expressão, não deixar fluir a sua capacidade articuladora, a criatividade e flexibilidade, Nos braços, diz respeito as suas tarefas.
Não permita que seus receios sufoquem sua expressão na vida Sinta-se livre e disposto a ser o que você é. Não veja a vida como se fosse arriscada e perigosa; nem tampouco as pessoas como juizes que estão prontos a te recriminar.


Tosse

Tosse, representa conteúdos (crenças e valores) profundamente arraigados. Quando tossimos, é como se nosso corpo se mobilizasse para despojar as informações que um dia nos foram úteis, no entanto hoje impede de agir livremente, com segurança e fé.
É preciso fazer uma reformulação dos valores internos, para se despojar daquilo que dificulta sua fluidez na vida atual. Confie e se renove. 

Inchaço nas pernas
Os aspectos metafísicos relacionados ao inchaço, refere-se a uma atitude de recolhimento e falta de entrega à vida e às situações existenciais
É importante que você tenha um bom nível de entrega, sentindo-se em condições de ser bem sucedido.

Labirintite
Metafisicamente a labirintite representa fuga ou negação daquilo que está ao redor, como ouvir algo que o chateia profundamente e se negar a encarar aquilo, acionando assim os processos somáticos da labirintite provocando a tontura.
Reflita a respeito de acontecimentos que você viveu recentemente, que ainda não está resolvido, procure se despojar daquilo que te aflige, superando os sentimentos de excessiva indignação e aceitando a verdade dos fatos.

Má drenagem linfática
Os aspectos metafísicos relacionados ao Sistema Linfático, resumidamente, referem-se a uma atitude de recolhimento e falta de entrega à vida e às situações existenciais.
É importante ter um bom nível de entrega, sentir-se em condições de ser bem sucedido. 

Não permita que o fantasma do medo do futuro torne-o inseguro.


Maxilar, ATM
ATM, refere-se à dosagem da força agressiva, a mobilização da ossa força perante os outros.
Refletir acerca de seu esforço para convencer os outros sobre o que você acredita; basta você crer. Caso você queira que os outros acreditem também, procure provar as coisas com ações e não com explicações. Ainda assim, sua movimentação para transmitir aos outros uma imagem melhor de si, pode estar sendo exagerada. Procure mover-se na vida focada mais no significado que as coisas têm para você, do que na repercussão de seus gestos. 

Mioma do útero, fibroma
O útero refere-se a maneira de ser, o estilo e característica da mulher. Aquele jeito só da pessoa em lidar com os acontecimentos. Quando bloqueia essa natureza e adota nova conduta, sem respeitar seu jeito de ser, metafisicamente é bloqueio e negação da originalidade.
É necessário resgatar o estilo próprio. 

Náusea
Resistência àquilo que se desenrola ao redor. O padrão metafísico apresenta tendência a recusar interagir com aquilo que não gosta ou mesmo que não vai ao encontro de seus anseios, rejeição a fatos não agradáveis.

Nem sempre as coisas são como agente quer, evite o mimo.

Nódulos na virilha
Metafisicamente representa bloqueios na intimidade do prazer. Dificuldade de se relacionar com aquilo que proporciona prazer e satisfação. Isso pode se manifestar tanto na vida íntima (sexual) como nas atividades prazerosas da vida.
É importante superar as dificuldades encontradas nestas áreas da vida. Se permita fazer o que você gosta e te faz bem Assumir o direito de ser feliz e realizado.

Olhos, Pálpebras
Os olhos representam a capacidade de desvendar aquilo que está por trás do que acontece, ou seja, as verdades dos fatos. As pálpebras se relacionam com o direito de nos poupar para não sofrer.
Reflita acerca daquilo que vêm acontecendo, as descobertas que vem fazendo, e o quanto essa verdade o tem abalado. Não queira continuar se enganando. A verdade é o caminho mais curto para o sucesso pessoal e afetivo.

Sinusite
Sinusite metafisicamente refere-se à irritação provocada pelas pessoas que te rodeiam. A verdadeira causa dessa irritação não é bem o que a pessoa faz, mas sim o fato dela não corresponder ao que você esperava que fizesse.
Procure esperar menos das pessoas e viver mais aquilo que elas tem para te oferecer como amizade, parcerias 


Sistema linfático
Os aspectos metafísicos relacionados ao Sistema Linfático, referem-se a uma atitude integradora, acrescida de um sentimento de integridade. melhor dizendo sentir-se bom o bastante para aquilo que pretende realizar na vida.

É importante ter um bom nível de entrega, sentir-se em condições de ser bem sucedido na vida.

Tendinite
Quanto aos aspectos metafísicos da tendinite: refere-se a maneira complicada de realizar as tarefas. Se cobrar muito quando não consegue dar conta daquilo que esperava fazer. Sente-se limitado e não acha que está fazendo o suficiente.
Atitudes saudáveis: Procure realizaras as tarefas sem tanta cobrança para não se chatear quando não atingir os objetivos. Sobretudo, não se abale com os resultados; se eles não forem promissores, procure satisfazer-se pelo fato de algo ter feito em prol dos outros ou dos meios. Pense: fiz minha parte; o possível está feito, o impossível não cabe a mim. 

Triglicérides
Metafisicamente o triglicérides refere-se a rupturas familiares que deixam seqüelas emocionais. Podem se ocasionadas por alguém, e que tenta a todo custo ser aceito novamente ou por um fator, que não coube a própria pessoa, mas ela sente-se na obrigação de reatar os laços.
É importante que a pessoa tire essa obrigação excessiva e até neurótica de reorganizar o meio familiar, ser aceita ou unir a todos os integrantes da família. Na trajetória tem momento para tudo, esse, de união familiar, por mais dolorido que seja, já passou.


Túneo do Carpo

Quanto aos aspectos metafísicos da tendinite: refere-se a maneira complicada de realizar as tarefas. Se cobrar muito quando não consegue dar conta daquilo que esperava fazer. Sente-se limitado e não acha que está fazendo o suficiente.
Atitudes saudáveis: Procure realizaras as tarefas sem tanta cobrança para não se chatear quando não atingir os objetivos. Sobretudo, não se abale com os resultados; se eles não forem promissores, procure satisfazer-se pelo fato de algo ter feito em prol dos outros ou dos meios. Pense: fiz minha parte; o possível está feito, o impossível não cabe a mim.

Uretrite
Infecção urinária metafisicamente refere-se a conflitos no relacionamento, irritação com aquele que está do seu lado, geralmente a maior causa dessa irritação não é bem o que a pessoa faz ou deixa de fazer, o que mais incomoda mesmo é pelo fato de ser sempre assim na sua vida, as coisas sempre foram assim com você. Então na verdade aquilo que o outro apresenta te afeta por ser algo que você vivenciou e não se desprendeu.
Pare de se lamentar com os seus infortúnios afetivos e curta aquilo de bom que acontece com você. 

Urticária
A pele metafisicamente representa um órgão do contato, manifestar aquilo que lhe é próprio. Frustrando a expectativa manifestadora, a insatisfação de não ter realizado aquilo tudo que gostaria, faz com que a integridade pessoal fique abalada.
É. Necessário respeitar os seus limites, não fazer tanta expectativa acerca do seu próprio desempenho nas situações externas. O que for possível de ser feito será de bom grado.

Útero, cisto hemorrágico
Metafisicamente refere-se a bloqueio ao estilo próprio.Quando o cisto for hemorrágico, significa que a pessoa se perde na hora de preservar seu estilo próprio. Não consegue preservar naturalmente aquilo que ela própria é, quando o faz exagera, ou "força a barra".
Procure fluir naturalmente ser o que é, sem agredir a ninguém, nem tampouco reprimir o seu estilo.

Vômito
Resistência àquilo que se desenrola ao redor. O padrão metafísico apresenta tendência a recusar interagir com aquilo que não gosta ou mesmo que não vai ao encontro de seus anseios, rejeição a fatos não agradáveis.
Nem sempre as coisas são como agente quer, evite o mimo.

Fonte: Livro Metafísica da Saúde, Autores Valcapelli e Gasparetto.

domingo, 15 de abril de 2018

A TEORIA DOS SETÊNIOS



teoria dos setênios nos ajuda a compreender a condição cíclica da vida, em que a cada ciclo soma-se os conhecimentos adquiridos no anterior e busca-se um novo desafio. Claro que a teoria dos setênios pode também ser entendida como uma metáfora sistêmica, sabemos que as pessoas mudaram de um século para o outro, nosso desenvolvimento está mais acelerado, nosso organismo mais adaptado, talvez nem todas as descrições dos setênios façam tanto sentido hoje, mas ela continua atual em sua percepção do ser humano e suas fases. Assim, os setênios não são exatamente sete anos no tempo cronológico, mas a cada ciclo de X anos, de tempos em tempos.
Há também uma subdivisão possível desses ciclos. Os três primeiros ciclos, que compreendem nossa fase de 0 a 21 anos, são denominados “setênios do corpo”. É o ciclo do amadurecimento físico, do corpo, e também da formação da nossa personalidade. Os três ciclos seguintes que vão de 21 a 42 anos, são conhecidos como setênios da alma. É a fase em que, superadas as experiências básicas da vida, nos inserimos na sociedade fazendo as escolhas como casar ou não, trabalhar em uma área específica, conviver mais ou menos com a família. E, apenas a partir dos 42 anos, vivenciando os últimos setênios, estamos realmente prontos para imergirmos na vida com maturidade, profundidade e espiritualidade.
Vamos então conhecer essa teoria extraordinária e refletir sobre como nossa vida é cíclica e sobre como isso reflete na forma como mudamos e nos refazemos sistemicamente.
0 a 7 anos – O ninho. Interação entre o individual (adormecido) e o hereditário
A primeira infância é uma fase de individuação, de construção do nosso corpo, já separado do da nossa mãe, da nossa mente e da nossa personalidade. Nesse ciclo nossos órgãos físicos estão sendo formados para que sejamos indivíduos únicos. O crescimento está ligado à nossa cabeça, ao ponto mais alto, o superior, o pensar.
A separação da mãe é um momento importante para a psique e para o corpo. Outros estudiosos já trataram disso, como Winicot. É uma transmutação importante, em que a consciência da criança se constitui fisicamente e mentalmente tomando conhecimento sobre si mesma. A pedagogia Waldorf, usada nas escolas que tem como filosofia a Antroposofia, entende que na primeira infância a criança tem que perceber os aspectos positivos do mundo, para quererem estar aqui e cultivarem a felicidade em longo prazo.
O primeiro setênio deve oportunizar o movimento livre, a corrida, as brincadeiras, deve permitir que a criança teste e conheça seu corpo, seus limites e suas percepções de mundo. Por isso o espaço físico é muito importante, bem como o espaço do pensar e o do viver espiritual.

7 a 14 anos – Sentido de si, autoridade do outro

O segundo setênio promove um profundo despertar do sentimento próprio. A energia que emanava do polo superior, da cabeça, se dilui e se encontra no meio do corpo. Os órgãos desse setênio são o coração e os pulmões, esses se desenvolvem promovendo a interiorização e exteriorização da vivência.
É nesse ponto que a autoridade dos pais e professores assume um papel importante, pois eles são mediadores do mundo no qual a criança se insere. Se a autoridade é excessiva, a criança pode ter uma visão pesada e cruel do mundo, se a autoridade e cobrança são muito fluídas e sem ressonância, a criança pode ter uma visão demasiadamente libertária do mundo, não inibindo comportamentos perigosos. O papel do adulto, pais e professores, determinam a imagem de mundo que a criança receberá.
A autoridade é excessiva pode gerar uma maior inspiração do que expiração, desequilibrando o ritmo, e isso pode levar desde a uma timidez no futuro, à introversão, ou quadros somáticos de asma, etc. Quando a autoridade é insuficiente, a expiração maior pode conduzir à extroversão exagerada, que leva a criança a desconhecer seu limite e o do outro, até quadros mais histéricos, de dissolução da identidade.
Nesse ciclo as normas e os hábitos estão sendo absorvidos, o desenvolvimento sadio do ser humano está relacionado à dosagem, o equilíbrio e a harmonia das relações de autoridade, valores, limites e permissões. É o sentir que está sendo afetado, o desenvolvimento das emoções. Do interior para o exterior e vice-versa. As estórias infantis, contos de fadas, todo ato de brincar é extremamente saudável pois a criança cria e molda sua participação no mundo. Isso, para o desenvolvimento humano, é bastante mais saudável que situações em que ela se faz apenas como expectadora, como no caso da televisão, ou de jogos eletrônicos
A arte deve ser estimulada desde o primeiro ciclo, mas nesse momento ela se faz muito mais importante, bem como a religião.  Os mundos artístico e religioso auxiliam no sentido de si e do mundo, fluindo a alma, que busca a beleza e a fé. E, sobretudo, fazendo um contraponto à dura descoberta das diferenças, pois é também nessa fase do conhecimento de si que percebemos como uns e outros são diferenciados na sociedade, como as diferenças sociais, religiosas, raciais ou mesmo geográficas.

14 a 21 anos – puberdade/adolescência – crise de identidade

O que todo adolescente busca? … liberdade!
Eles não querem os pais, irmãos mais velhos nem professores “pegando no pé”. O que rege esse ciclo é o sentido de liberdade. No sentido corporal, as forças que se acumulavam nos órgãos centrais se espalham e chegam aos membros e no sistema metabólico.
A postura ereta é uma diferenciação dessa fase para as outras. O corpo já está formado, já aconteceram as primeiras trocas com a sociedade, o corpo já não precisa de tanto espaço para se locomover, o espaço agora adquire outro sentido, o da possibilidade de “ser”.  O espaço dessa criança é o mundo, já não pode se resumir a família nem a Escola. Ele precisa se reconhecer e ser reconhecido, aceito, achar a “sua turma” para compor um grupo no qual se identifique.
A liberdade nesse ciclo atua como a vivência do “bom” no primeiro ciclo e do “belo” no segundo ciclo. Ocorre que a liberdade só se dá num ambiente de tensão entre as possibilidades, impossibilidades e desejos. Essa tensão costuma gerar rompimentos, as vezes esses rompimentos são violentos, mas são necessários e próprios desse ciclo.
Essa liberdade também tem um sentido de exposição. Tudo está voltado para o externo, para fora, para o mundo. Há uma dificuldade em ouvir o outro e entender suas posições, tudo deve seguir o seu sentimento de mudança, de julgamento de certo e errado, de bom e ruim. É tanta energia interna para ser extravasada que o sujeito pode perder o controle de si mesmo e precisar de intervenção – salvo se os ciclos anteriores tiverem cumprido bem os seus papéis. As trocas nesse ciclo são importantíssimas. O diálogo, a abertura ao novo, a prática da compreensão, da solidariedade, assim como o seu reconhecimento e o pertencimento.
O binarismo entre o ideal e o real também estão muito presentes. O ideal de mundo, de Homem, de cultura, vindo de uma essência pura e etérea do ser humano entra em choque com o real das ruas, da política, o prazer sexual, as práticas ilícitas, tudo se torna um turbilhão. As representações que forem mais fortes para o sujeito – as de idealizações ou as do real, serão definitivas nos próximos ciclos.
Os questionamentos são fruto desses choques. É o momento de questionar a tudo e a todos. O caminho contrário do “habitual” pode ser exclusivamente para reforçar a tensão. As drogas podem estar nesse contexto. É importante que saibamos que é uma fase extremamente difícil, onde o adolescente precisa negar e se opor, para que, a partir da percepção do que não é, encontrar-se a si mesmo.
Também é o momento do discernimento, das escolhas profissionais, do vestibular, do primeiro emprego, pois a liberdade também só faz sentido quando percebemos a vida econômica. O dinheiro então pode ganhar um sentido de poder que talvez não seja saudável. É a partir desta idade que começamos a ter um pensamento mais autônomo, ainda que, nesta época, acreditemos estar amadurecidos para efetuar julgamentos.

21 a 28 anos – O “Eu” – a independência e a crise do talento

A partir dos 21 anos nossa individualidade, nosso self, toma uma força considerável na tentativa de estabilização. O “Eu” começa realmente a se mostrar, mesmo ainda estando em formação. No entanto, para que esse “Eu” apareça e se forme, mesmo sendo algo subjetivo e interno, ele depende do mundo exterior, da sociedade.
O fim do crescimento corporal instaura o início de um processo de crescimento mental e espiritual, somos então “cidadãos de dois mundos: o celeste e o terrestre”. Geralmente já não moramos mais com a família e já não estamos mais na escola. É o momento da autoeducação, do emprego, do desenvolvimento dos talentos, etc.
A história das pessoas começa a ser traçadas por elas mesmas, pois há uma tomada de caminho que não depende mais, diretamente, das outras instituições. É uma emancipação em todos os níveis, mas como resultado de toda a experiência nos três primeiros setênios. Surpreendentemente, é também a fase em que mais nos influenciamos pelos outros, pois a sociedade dirá o ritmo da vida de cada um.
Nesse ciclo, os valores, aprendizados, e lições de vida passam a fazer mais sentido.  As energias estão mais pacificadas. Nosso lugar no mundo é o principal objetivo. A colocação profissional assume um papel muito importante. O não atingimento desse objetivo pode gerar muita ansiedade e frustração, especialmente se todos os anos até aqui não foram suficientes para descobrirmos e desenvolvermos os nossos talentos.

28 a 35 anos – fase organizacional e crises existenciais

Quem nunca ouviu falar na “crise dos 30”? ela não é um mero mito, ela existe e tem explicação. O 5º setênio começa com essas crises na vida, o abalo da nossa identidade, a cobrança do sucesso que talvez ainda não tenha atingido, a certeza de não podermos tudo, de onde vem a frustração e tristeza.
A sensações de angústia e vazio são muito comuns. Em algumas sociedades as pessoas nesse ciclo não encontram um lugar para si e se veem entre a juventude e a velhice ou maturidade. As pessoas passam a não se conhecerem, pois, seus gostos mudam – ou por si mesmos ou pela pressão dos outros. Sentimo-nos impotentes nesta passagem da juventude para a maturidade, de um viver mais impulsivo para um viver mais sério, responsável, voltados para a família e para o trabalho.
Nesse ciclo os sentimentos nos levam também a uma busca espiritual maior, um “caminho da alma”. Estamos suscetíveis ao cosmos, às oscilações e às vezes a harmonia custa a acontecer. Somos cobrados por estrutura, firmeza, estabilidade, uma base, um pilar, que seja material e que também sejam mental e espiritual. A Antroposofia acredita que logo após o 31 ½ ano, que corresponde à metade do 63º. ano de vida, estamos no final das atuações planetárias e zodiacais. Depois dessa idade, ficamos mais livres.
Estamos realmente, nessa fase, em organização. É nesse ciclo que passamos a pesar uma série de coisas, avaliar a trajetória da nossa vida, esse não lugar nos força a perguntar “quem sou eu”. Há uma renovação a partir desse ciclo. Estamos tendo crises, mas é por meio dessas crises que construímos novos pensamentos, novos valores, terminamos relacionamentos e começamos outros, mudamos de emprego, de ideologias, de partidos políticos, enfim… crises, desorganizações e reorganizações.

35 a 42 anos – crise de autenticidade

Esse setênio, embora tenha suas peculiaridades, está ainda ligado ao setênio anterior, ruminando os resultados das crises. Reconhecemos também uma espécie de crise nesse setênio, mas uma crise que busca uma autenticidade, gerada pelas reflexões do ciclo anterior.
Temos, aqui, mais capacidade de julgamento, gozamos de mais maturidade psíquica e emocional. Em geral, já acumulamos alguns bens materiais ou ao menos conseguimos uma renda que seja suficiente para as questões básicas de consumo. O desafio, então, é encontrar valores espirituais e nos reconhecermos como seres únicos. A pergunta é: como é que encontro o caminho para a essência do mundo e para a minha própria essência?
Esse setênio configura a última fase do desenvolvimento da alma propriamente dita, estamos propensos a adentrar mais profundamente no nosso mundo espiritual, na parte mais sensível de nós. Buscamos a essência de tudo, no outro e em nós. Isso passa a acontecer com mais força nesse setênio pois, aqui, já há maturidade e aprendizado suficiente para esse conhecimento.
A carreira, a família (ou não) os desejos, tudo já teve seu tempo. Já alcançamos as conquistas que nos eram urgentes. Há um desaceleramento do ritmo do nosso corpo e da nossa mente, o que é algo importante para alcançarmos frequências mais sutis de pensamento, onde estará nosso corpo suprassensível.
É possível que esse ciclo traga um descontentamento com o novo. Pode ser que o sujeito questione se, chegando aos 40 anos, ainda há algo novo para se fazer. Buscar coisas novas é um exercício importante para esse ciclo. Em contraponto ao novo, há uma aceitação maior do que se é, de como se é, das histórias e experiências de vida.

42 a 49 anos – altruísmo x querer manter a fase expansiva

É um ciclo que tem um “ar” de recomeço, de ressurreição, de alívio, até. A crise dos trinta perde a força e parece não ter tido resultados tão graves como se pensava. É, porém, o momento de buscar, desesperadamente, por algo novo, para que a vida adquira sentido.
As mudanças nesse setênio são urgentes. Mesmo que nem todos estejam preparados para elas. As questões existenciais retornam com uma certa força, mas agora elas mais dinâmicas e menos melancólicas pois o sujeito já se vê capaz de produzir essas mudanças. O lema é “como está, não da pra ficar”.
Essa dinâmica impulsiona a tomada de decisões que, por vezes, ficou anos sendo gestadas dentro de si. Pode ser a separação conjugal, a saída de uma empresa, ter um filho, etc. É uma fase que corresponde, em termos energéticos, à fase que vai dos 14 aos 21 anos. Ficamos saudosistas, queremos ir à Disney e reviver coisas da nossa adolescência. Voltamos a desafiar nosso corpo e fazer esporte. É uma fase solar.
O medo do envelhecimento surge. As questões internas despertadas pelos ciclos anteriores perdem um pouco de espaço para a estética e a necessidade de se fazer coisas que os jovens fazem. As rugas e a menopausa são os espinhos das mulheres nesse setênio.  A sexualidade retoma uma importância crucial. Contudo, a força que se perde com o declínio da sexualidade pode e deve ser empregada em outros nichos.
Esse setênio traz o contraditório: queremos mudanças, estamos em busca do novo, mas o envelhecimento que é uma mudança natural nos assusta, incomoda, gera ansiedade, muda nosso comportamento com relação a nós mesmos e ao mundo. Assim, sucumbimos à força do “sósia”, ou seja, da sombra, daquilo que está diretamente ligado aos aspectos pessoais não resolvidos, não integrados.
Nos enxergamos nas sombras do outro e entramos em confronto. As relações ficam à mercê das emoções distorcidas pelo que não vemos em nós mas vemos nitidamente nas pessoas. No entanto, o que acontece é um espelhamento.

49 a 56 anos – ouvir o mundo

Podemos reconhecer essa fase como sendo do “pai e da mãe universal”. É a fase de desenvolvimento do espírito. É um setênio tranquilo e positivo. As forças energéticas voltam a estar concentradas na região central do corpo, mas estão voltadas ao sentimento da ética, da moral, do bem-estar, questões universais, humanísticas.
É um momento em que estamos mais conscientes do mundo e de nós mesmos. É um bom momento para reconhecer os méritos da nossa história, aceitando-a sem julgamentos. Esse ciclo desperta em nós o existencialismo para observarmos mais de perto o valor simbólico das coisas. Deixamos o pessoal, particular em busca do universal, do humanístico, do existencial.
Contudo, alguns podem incorrer na falha dos egocentrismos, pois um ciclo depende do seu anterior. Assim, pode haver pessoas nesse setênio completamente voltadas para si, suas necessidades e do seu grupo. O desapego é uma consequência da vida pregressa.
Em termos físicos, esta fase espelha fisiologicamente o setênio 7 a 14 anos, o elemento do ritmo tem de ser priorizado, especialmente na condução de uma rotina. A vida nos ensina nesta época uma nova audição, temos a possibilidade de ouvir a voz do coração para esta renovação ético / moral que agora é propícia.

56 a 63 anos – (e adiante) abnegação/sabedoria

A Antroposofia acredita que o 56º ano de vida traz uma brusca mudança. Ela está na forma como a pessoas se relaciona consigo e com o mundo. Como os ciclos se correspondem, esse se liga ao primeiro setênio, aquele que vai do nascimento até os sete anos de vida. A audição, a visão, o paladar das pessoas dessa fase se igualam e o mundo fica estranho.
É importante pensar que essa teoria foi pensada em uma época em que a expectativa de vida era muito baixa e as pessoas com 60 anos eram verdadeiros anciãos. Logo é preciso também compreender que os ciclos são metafóricos e não tem uma relação matemática exata.
Contudo, essa fase, por exemplo, evidencia uma volta para dentro de si. O interno passa a fazer muito mais sentido que o externo. É importante internalizar-se, desenvolver os sentidos espirituais. A comunicação com o mundo externo passa a ter ruídos, principalmente pelas mudanças que a sociedade sofreu nesse período inteiro.
A reclusão passa a ser algo natural, boa para a autorreflexão e a busca pela essência. A sabedoria pelo conhecimento acumulado e a intuição que passa a ser mais clara, tornam-se elementos fundamentais dessas pessoas. Elas são o contraponto do sentimento de fracasso e insucesso que, porventura, possa aparecer, vindo dos questionamentos daquilo que se alcançou ou deixou de alcançar.
Certos cuidados se fazem muito importante, como a estimulação da memória, mudanças de hábitos, recursos criativos. Isso porque a aposentadoria pode ser algo limitador, especialmente para aqueles que durante toda a vida atribuíram muita importância ao status profissional e agora temem não ter outra forma de autorrealização.
Atividades muito bem-vindas nesse setênio são as acadêmicas – lecionando ou fazendo novos cursos – escrever textos ou um livro, o laser em grupos de pessoas na mesma fase da vida, viagens e outras formas que relacionem prazer e aprendizado. A aproximação da família ou a construção de novas famílias também ajudam a dar novo sentido à vida.

Concluindo

Como você vê, nossa vida é feita de uma forma cíclica. Nossa energia vital circula pelas diversas fases da nossa vida. Nossa mente tem diferentes estágios de aprendizado e nossa espiritualidade pode estar mais ou menos aberta também conforme cada estágio.
Hoje talvez essa divisão seja um pouco diferente e, com certeza, faz sentido pensar em mais um ou dois ciclos de sete anos, visto que estamos vivendo cada dia mais, mas o aprendizado com a Antroposofia e a teoria dos setênios é enorme. Metaforicamente ou não, poucas linhas de pensamento conseguem dar pensar de forma sistêmica como essa. De forma que é impossível pensarmos em algo tão complexo quanto a nossa vida de forma linear e homogênea.
Compreender as fases ou ciclos da vida é importante para aprendermos mais sobre nós mesmos e sobre o outro, adquirindo mais expertise no cuidado com as pessoas, especialmente os coaches, que devem ser peritos no desenvolvimento e aprendizagem humana. Saber sobre cada etapa nos possibilita saber mais sobre as crises e lidar melhor com elas.
Há uma série de arquétipos que podem ser observados nessas diversas fases, mas isso é assunto para um novo artigo. Lembre-se sempre de se lembrar de nunca esquecer que o saber é o nosso bem maior, cada leitura, cada livro, cada conhecimento acumulado é uma forma de sermos melhores e mais capacitados, além de nos conhecermos mais a cada dia.

Fonte  : http://www.jrmcoaching.com.br/blog/a-teoria-dos-setenios-os-ciclos-da-vida/